Os animais em inglês

Quer chamar a atenção facilmente de seus alunos por um bom período? Então, faça um projeto bem abrangente sobre animais que une inglês e interdisciplinaridade

Foto: cairnsvet.com.au | Adaptação web Caroline Svitras

 

 

Em grandes cidades, como em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, entre outras, devido à ausência de espaços de lazer, é fácil encontrar alunos com animais de estimação em casa. Portanto, para começar uma boa aula de inglês, que tal perguntar quem tem um bichinho, qual a espécie e o nome dele, quais os tratos destinados ao animalzinho, há quanto tempo se está com ele ou se já perceberam que está havendo um aumento no número de pet shops (já, de início, temos aí uma palavra em inglês para trabalhar com as crianças) em quase todos os lugares?

 

É assim que o professor titular de Inglês do Ensino Fundamental, Médio e do EJA Ricardo Pires Armada envolve seus alunos! Por isso, ele ainda explica que, terminado o bate-papo inicial, já é possível começar um projeto bem interessante com a leitura de livros paradidáticos fornecidos pela Secretária Municipal de Educação (SME) – ou outros disponíveis na escola, mas que enfoquem o mesmo tema –, com a finalidade de explorar todo o vocabulário e as ilustrações de acordo com o contexto do enredo.

 

“Inicio meu trabalho com dois livros principais, o Pandas e o Black Ant, apesar de ainda utilizar Dom’s Dragon e o Inside This Book Live Two Crocodiles, para criar uma expectativa  motivadora diante de uma série de atividades, que envolve a escrita, o desenho e a pintura, cujo modelo pode ser escolhido conforme a série da turminha. Entre as atividades que costumo explorar, várias pertencem a arquivos postados nos grupos de professores de inglês do Facebook. A maioria é bem simples, mas elas podem proporcionar ao docente uma boa visão sobre o desempenho do aluno em relação à leitura, escrita, reconhecimento de letras – maiúsculas x minúsculas, de forma x manuscrita –, habilidades para a pintura, uso do espaço, entre outros”, explica Armada.

 

 

A utilização de folders

Para reforçar todo esse trabalho, ele ainda sugere a utilização de folders sobre animais, entre os quais o da coleção Happy Kids, da Editora Rideel. “Conforme a etapa do projeto que desenvolvo, coloco os folders na lousa, aponto para a ilustração e faço a leitura coletiva do vocabulário correspondente. Ainda aproveitando o mesmo material, há um momento em que repasso o vocabulário de forma lúdica, para gerar uma disputa divertida entre os alunos. Para tanto, individualmente ou em grupo, deixo que eles escolham, em segredo, um animal do folder. Depois, todos vêm à frente da sala de aula, para imitá-lo por meio de som e mímica, com o objetivo de fazer os demais adivinharem de que animal se trata e falar o nome dele em inglês. Dependendo da série em que o projeto está sendo desenvolvido, a dica é aproveitar as aulas de informática para pesquisar a emissão de ruídos de vários animais, que possam inspirar a criançada”, sugere o professor.

 

O desenvolvimento do projeto

Após o bate-papo inicial sobre os bichinhos de estimação, é chegado o momento do desenho livre sobre os animais preferidos de cada aluno, etapa que também inclui pintura e uso de vocabulário. Para as turminhas da segunda e terceira séries, Armada incentiva a obtenção de animais a partir o uso do papel sulfite e formas tradicionais de dobraduras que, depois, ainda recebem alguns detalhes feitos com canetas hidrocor (entre os quais, as patas, a cauda, o bico, as asas etc.).

 

Foto: departments.central.edu

 

Já entre os alunos do quarto ano, ele utiliza papel espelho e formas elaboradas com círculos dobráveis, que dão origem a borboletas, peixes, tartarugas, porcos, joaninhas, entre outros animais e insetos. “Quando as dobraduras estão prontas, estimulo a criançada a colá-las no caderno e, com a criação de desenhos, pinturas e vocabulário em inglês, compor uma paisagem adequada para o animal elaborado”, ressalta o professor.

 

Além disso, ele também promove um bingo animal para facilitar a fixação do vocabulário temático entre os alunos. “Preparo pequenos cartazes com o nome do animal em inglês e em português separadamente. Primeiro, mostro os cartazes em inglês e faço a leitura coletiva deles. Depois, após embaralhar todos eles, independentemente se inglês ou português, distribua-os pela sala. A partir daí, os alunos devem se levantar e procurar entre os colegas quem está com a tradução referente ao nome do animal que ele tem em mãos. No fim desse processo, para se obter um bom fechamento das atividades desenvolvidas, ainda promovo um passeio ao zoológico com os alunos que, diante da nova situação, colocam em prática tudo que aprenderam com um prazer incomparável!

 

Adaptado do texto “Um projeto animal”
Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 120