Crie garrafas de areia colorida

As tonalidades transmitem muitas sensações e é por isso que elas são classificadas em quentes, frias e neutras

Foto: Itaci Batista | Adaptação web Caroline Svitras

 

As cores quentes, como a amarela, laranja e vermelha, normalmente, são associadas ao Sol e ao fogo, pois transmitem sensação de calor, euforia, excitação… Já as cores frias, como violeta, azul e verde, além de estarem relacionadas à água, ao gelo, ao céu e às árvores, são tidas como calmantes porque imprimem uma sensação fria, de amenidade, de tranquilidade etc.

 

Por sua vez, as cores neutras são aquelas nas quais não há predominância de tonalidades quentes nem frias. Entre elas, destacam-se as cores cinza, marrom, bege e suas variações, obtidas por meio de misturas de tonalidades quentes, frias e complementares. No entanto, as cores neutras – que facilmente combinam com as demais – também transmitem sensações, mas que dependem exclusivamente do apreciador delas.

 

Depois temos a cor branca e a preta. Enquanto a primeira, tida como cor-luz, é a junção de todas as cores do espectro, a segunda é a cor mais escura dele. Por isso, é chamada de ausência de luz. Ambas também transmitem sensações, mas, na maioria das vezes, de acordo com o que dita a cultura popular. No Ocidente, por exemplo, a cor branca sugere paz, calma, ordem, limpeza, entre outros aspectos positivos. Já no Oriente, ela representa exatamente o contrário: desde tristeza até luto. O mesmo acontece com a cor preta, que no Ocidente aparece associada à morte, trevas, mal, angústia, entre outros aspectos negativos, mas, no Oriente, simboliza o dinheiro e, por essa razão, é considerada portadora daquilo que é bom.

 

 

Aplicação prática das cores

No Nordeste, sinônimo de praia e calor para a maioria dos brasileiros, há um artesanato típico: as famosas garrafinhas de areia colorida. Elas surgiram em locais e épocas diferentes nos Estados do Rio Grande do Norte e Ceará, devido às areias coloridas das praias de Majorlância (CE) e de Tibau do Norte (RN). Embora em outros lugares do nosso país também haja areia colorida, aqueles que moram principalmente nos grandes centros urbanos, certamente, têm dificuldade de encontrá-la. No entanto, quem quiser se arriscar a elaborar as garrafinhas de uma forma mais básica, basta seguir os passos e o estudo das cores, para produzir belas peças, que são capazes de invocar várias sensações!

 

 

Adaptado do texto “Estudo básico das cores”

Revista Guia Prático do professor – Ensino Fundamental Ed. 113