Atividade: aprenda a fazer tela com giz de cera derretido

Se a arte aguça a imaginação, a visão, a escuta e os demais sentidos, sua função é primordial para as crianças. Veja como fazer atividade de tela com giz de cera derretido

Criação: Rosa Maria Rodrigues
Grau de dificuldade: fácil
Tempo de execução: cerca de 40 minutos

Durante toda a história da humanidade, é sabido que o homem sempre representou suas ideias por meio da arte, disciplina relacionada com as demais áreas, mas que tem suas próprias especificidades. Portanto, ela tem uma grande importância para as crianças que, desde cedo, adoram rabiscar, momento em que desenvolvem a sensibilidade, a percepção e a imaginação. Contudo, enquanto crescem, quando não estimuladas, elas também vão perdendo a habilidade de se expressar por meio de traços e cores, de apreciar as formas que produz por si mesma ou pelos colegas e de observar aquilo que a natureza traduz com feitio de arte, à relatividade do belo, que está enraizado nos modos de pensar e agir da sociedade.

Diante desse quadro, cabe ao professor dar asas à imaginação infantil e impulsionar sua turminha a criação artística, principalmente porque a arte induz a comunicação e a valorização da diversidade humana. Consequentemente, se a criança acredita que não sabe desenhar ou pintar, há outras estratégias para despertar a atenção dela para a criação e também para as formas e cores, que invadem o cotidiano que nos rodeia. A sugestão que segue, por exemplo, é ideal para trabalhar a harmonia das cores e, indiretamente a transformação, assunto que pode ser abordado de maneira interdisciplinar ou exclusivamente nas aulas de ciências.

Além desses aspectos que devem ser trabalhados em sala de aula, note que, se a arte é uma forma de propiciar o desenvolvimento da realização efetiva do processo ensino-aprendizagem, ela também tem a capacidade de ensinar a conhecer de maneira indissociável, de resgatar valores, de trabalhar a sustentabilidade, inclusive do ser humano que, assim, também pode empreender uma ação transformadora em seu próprio meio.

Adaptado do texto “A ordem é criar!”

Revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental I Ed. 145