Mostre às crianças o valor da água

Que tal aproveitar o dia 22 de março para discutir a relação do homem com a água?

Foto: Reprodução/fiabciusanews.com | Adaptação web Caroline Svitras

 

Aproximadamente, 70% da superfície terrestre se encontra coberta por água, que pode apresentar três estados físicos: sólido (geleiras), líquido (oceanos e rios) e gasoso (vapor d’água na atmosfera). Embora pareça ser uma substância abundante, menos de 3% desse volume é de água doce, cuja maior parte está concentrada em geleiras (geleiras polares e neves das montanhas) e em outras superfícies territoriais que, por sua vez, atendem às necessidades dos seres vivos.

 

 

Distribuição da água pelo planeta

A 97,5% da disponibilidade da água do mundo é salgada e encontra-se distribuída pelos oceanos. 2,5% da água doce do planeta está distribuída da seguinte forma:

a) 29,7% em aquíferos (grupo de formações geológicas que pode armazenar água subterrânea, em rochas porosas e permeáveis, que são capazes de abastecer rios e poços e, assim, cedê-la ao homem);

b) 68,9% em calotas polares;

c) 0,5% em rios e lagos; e

d) 0,9% em outros reservatórios (nuvens, vapor d’água etc.).

 

Só por esses percentuais já dá para perceber porque a água potável, essencial à vida, está cada dia mais escassa. Em condições normais de temperatura e pressão, ela predomina em estado líquido e é aparentemente incolor, inodora e insípida. Contudo, do total de água doce disponível em lagos e rios que abastecem as cidades, apenas 2% pode ser consumida, pois o restante se encontra poluída, o que diminui ainda mais as reservas disponíveis.

 

Ciclo da água

Também chamado de ciclo hidrológico, ele se refere ao processo dinâmico dos diferentes estágios da água que, convencionalmente, começa com evaporação (que se dá em sua maior parte nos oceanos), que é transportada pelo movimento das massas de ar. Sob determinadas condições, esse vapor é condensado, momento em que se formam as nuvens que, por sua vez, podem resultar em precipitação tanto em forma de chuva quanto de neve ou granizo.

 

Foto: Reprodução/susansspace08.blogspot.com

 

De acordo com esse ciclo, a maior parte da água “dos céus” fica temporariamente retida no solo, próxima de onde caiu. A partir daí, ela pode escoar sobre a superfície do solo em direção aos rios ou infiltra-se profundamente no solo, para abastecer o lençol freático. Em seguida, ela retorna à atmosfera por evaporação e transpiração das plantas. Contudo, se há poluição, ela também acompanha o ciclo da água, precipita e se infiltra no solo, contaminando os lençóis freáticos, rios e lagos.

 

 

A água no Brasil

O nosso país é privilegiado com relação à disponibilidade de água doce, pois ele detém 53% de todo o manancial disponível na América do Sul, além do maior rio do planeta, o Amazonas (na foto). Os climas equatorial, tropical e subtropical, que também atuam sobre o nosso território, proporcionam elevados índices pluviométricos. No entanto, o país sofre com a escassez de água potável em alguns lugares, pois a água doce está irregularmente distribuída. Aproximadamente, 72% dos mananciais estão na região amazônica, 27% na região Centro-Sul e apenas 1% na região Nordeste do país.

 

Foto: Reprodução/guia.ingresse.com.br

 

Esse problema ainda se agrava devido à ausência de saneamento básico e tratamento de água. Atualmente, 55% da população não é beneficiada com tais serviços. Mesmo assim, ainda há grande desperdício de água: 69% dela é destinada para a agricultura, 22% para as indústrias e apenas 9% para o consumo humano. Portanto, ainda dá para concluir que, em consequência tanto da falta de saneamento básico quanto dos poluentes industriais, diariamente, diversos mananciais recebem toneladas de diversos tipos de resíduos, que alteram as condições de suas águas.

 

Como situação idêntica se repete em vários outros países do planeta, a Organização das Nações Unidas (ONU) criou o Dia Mundial da Água em 22 de março de 1992, para promover discussões acerca da consciência do homem em relação ao bem natural mais precioso que todos nós temos. Então, nada melhor que aproveitar a data para discutir com as crianças medidas cautelosas e ainda trazer informações para garantir a cultura de preservação ambiental e a consciência ecológica em relação à água.

 

 

O que as crianças precisam saber

Aqui a ideia é propor um debate sobre os tópicos que seguem e outros relevantes que, certamente, surgirão espontaneamente, a fim de levá-las a entender o problema da água potável. Com a conscientização gradual sobre os cuidados necessários, poderá surgir até algumas soluções que, após análises de viabilidade, ainda contribuirão com a economia de água dentro no espaço escolar.

  • Todos nós somos responsáveis pela preservação e economia de água, pois ela é um patrimônio mundial.
  • A água potável deve ser utilizada com discernimento, já que seu tratamento é lento e escasso em muitas regiões.
  • O equilíbrio do planeta depende da conservação dos rios, mares e oceanos, bem como dos ciclos naturais da água, pois só eles poderão assegurar a vida das gerações futuras.
  • Além de evitar o desperdício, nós também devemos impedir a poluição da água, lutar e ser solidário com o meio ambiente.

 

 

Adaptado do texto “Dia Mundial da Água”

Revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 115