Iniciativa solidária

A força de uma aluna do 2º ano do Ensino Fundamental foi capaz de mobilizar as pessoas em uma campanha para criar bibliotecas em escolas públicas

Por Diego Gavazzi | Fotos: Diego Gavazzi | Adaptação web Caroline Svitras

 

Não há limites para os benefícios da leitura: ela enriquece o vocabulário, exercita a mente, aprimora a memória, estimula o raciocínio, diminui o stress, melhora a escrita, entre outros. No caso da pequena Gabriela Eyng, de 7 anos, aluna do 2º ano do Ensino Fundamental do Instituto São José, unidade da Rede Salesiana de Escolas (RSE) em Resende, Rio de Janeiro, o hábito de ler ainda despertou o espírito de solidariedade, de uma maneira bem criativa e surpreendente!

 
Tudo começou quando um casal de amigos visitou a casa dela. Junto a eles também vieram dois irmãos gêmeos de cinco anos que estudam em uma pré-escola pública do bairro São Caetano, na mesma cidade. No intervalo entre uma brincadeira e outra, eles se impressionaram com o cantinho da leitura de Gabriela, que tem aproximadamente 100 livros e contaram à amiga que na escola deles não existia biblioteca. “Eu fiquei muito triste e tive uma ideia”, diz a menina.

 
Primeiro, ela sugeriu que a mãe, Karine, doasse os livros dela e do marido para a criação de uma biblioteca na escola daquelas crianças. “Eu gostei muito da iniciativa, mas expliquei que os nossos livros são de adultos e não serviriam para uma pré-escola”, disse Karine. Foi quando Gabriela surpreendeu os pais com uma ideia ainda melhor: montar uma banca em frente ao seu colégio para vender os livros adultos e, com o dinheiro arrecadado, comprar títulos infantis para a nova biblioteca. “Fiquei ao mesmo tempo surpresa e orgulhosa com essa atitude, pois mostrava que Gabriela queria ajudar não só os dois coleguinhas, mas todas as crianças daquela escola, para que pudessem, como ela, também ter acesso a esse lindo universo da leitura”, explica a mãe.

 

Arrecadação de dinheiro com a venda de livros adultos

 
Em seguida, a própria menina decidiu bater na porta do diretor executivo do Salesiano, professor Roberto Barbosa de Oliveira, para explicar a ideia que tinha tido. Depois, os pais dela também o visitaram para conversar sobre a iniciativa. “Aprovei na hora e, então, começamos a combinar como colocaríamos em prática o desejo da nossa pequena aluna. Fiquei muito feliz com o comportamento dela, que acredito ser fruto de uma boa educação em família, com o apoio da equipe educativa da escola”, afirmou Roberto.

 

 

Envolvimento da comunidade

Na sexta-feira, 24 de junho, Gabriela participou de um “boa tarde” especial para lançar a campanha. Em um encontro com os alunos, na abertura das aulas vespertinas, ela e a mãe explicaram a origem da iniciativa e pediram a colaboração dos outros pais e das demais crianças.

 
Na ocasião foi notificado que haveria duas iniciativas. A primeira se estenderia até dia 8 de julho, período em a escola iria receber doações de livros infantis que seriam diretamente encaminhados para duas instituições do bairro São Caetano: a Escola José Roberto Sampaio e o CIEP 347. A segunda acabaria no dia 30 de junho, período em que seriam recolhidos títulos adultos para que fossem vendidos a preços populares no colégio entre os dias 4 e 8 de julho. Depois, com o dinheiro arrecado com a venda dos livros adultos, seriam comprados mais livros infantis para a criação de bibliotecas nas duas escolas beneficiadas. Ambos os tipos de doações deveriam ser entregues na biblioteca do Instituto São José.

 

 
Segundo o professor Roberto, desde o início, a campanha já foi um sucesso. “No boa tarde sentimos como os outros alunos gostaram da ideia e tínhamos a certeza de que todos iriam colaborar para que possamos criar bibliotecas de qualidade nas duas escolas já citadas e realizar, assim, o desejo da Gabriela de levar a essas crianças leitura saudável e de qualidade”, frisou o diretor.

 

 

 

A realização de um sonho

Com a campanha realizada no Instituto São José foi arrecadado ao todo 230 livros infantis, que já foram encaminhados diretamente para a montagem das bibliotecas nas escolas públicas do bairro São Caetano. Além disso, como também foram doados aproximadamente 200 livros adultos, cada qual vendido a R$ 10,00, ainda foram arrecadados R$ 2.000,00 para a compra de novos livros infantis, que também irão compor as bibliotecas escolares.
Gabriela e sua família participaram de todo o processo. Além de lançarem a campanha na escola, estiveram presentes durante o período de vendas dos livros adultos e recebimento das doações. “Achei muito legal vender os livros durante a campanha e ver as pessoas ajudando. Por isso, também acredito que as bibliotecas vão ficar muito bonitas!”, afirmou a pequena aluna Salesiana que nos dá uma grande lição de solidariedade e amor à leitura!

 

 

 

Quem é essa grande menina?

 

De acordo com os pais, leitores assíduos e com grande acervo de livros em casa, desde bem pequena, Gabriela sempre se interessou pela leitura. “Quando vamos ao shopping, por exemplo, ela prefere entrar em uma livraria a uma loja de brinquedos”, conta orgulhosa a mãe Karine.

 
Graças ao incentivo que recebe em casa, ao ser questionada sobre brinquedos, a menina é enfática: “Prefiro livros!” Por isso, o cantinho de leitura dela tem aproximadamente 100 títulos. E é para lá que ela vai toda manhã se aventurar no universo mágico da leitura.

 
Como Gabriela mesmo conta, atualmente, ela está lendo a versão ilustrada de Harry Potter e a Pedra Filosofal, coleção que adora. Porém, os livros que mais gosta são A Bolsa Amarela, de Lygia Bojunga, e A Fada que tinha ideias, de Fernanda Lopes de Almeida, a autora preferida da pequena leitora. “As histórias são muito divertidas, gosto muito de ler os livros dela”, conta Gabriela, prova viva que de uma boa educação, tanto familiar quanto escolar, é capaz de transformar o mundo.

 

 

 

Adaptado do texto “Ler para transformar”

Revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 143