Vela feita com óleo de cozinha

Em relação ao meio ambiente, grandes preocupações são bem mais atraentes, mas também há muito que se fazer individualmente a partir da própria residência! Então, pense em termos mundiais, mas aja localmente

Foto: Itaci Batista | Adaptação web Caroline Svitras

 

Crianças se preocupam com a extinção dos animas, com o desmatamento, com a poluição e outros problemas ambientais. No entanto, elas não conseguem fazer uma relação de causas e efeitos de forma direta. Se elas percebessem que a falta de respeito com o meio começa em sua própria residência, todas já estariam contribuindo para a preservação do planeta Terra. Por isso, além de chamar a atenção delas para tal fato, dê exemplos práticos de reaproveitamento, para que cada uma se transforme em um agente multiplicador de informações. Para começar, que tal falar sobre o estrago que o óleo empregado na cozinha faz na natureza para, depois, ensinar como é possível reaproveitá-lo?

 

 

Danos causados pelo óleo de cozinha

Normalmente, após ser utilizado, ele é descartado de maneira totalmente errada. Apesar do Ministério do Meio Ambiente indicar o armazenamento do óleo em uma garrafa PET ou em um recipiente de vidro para, depois, destiná-lo à coleta seletiva específica, a maioria das pessoas continua jogando a sobra das frituras na pia da cozinha. No entanto, além de entupir em médio e longo prazo os encanamentos domésticos, apenas um litro de óleo tem a capacidade de poluir 20 mil litros de água!

 

Como o estrago para a natureza é grande, é fundamental reaproveitá-lo. Por isso, que tal ensinar a criançada a transformá-lo em eco-velas que, com um toque de citronela, ainda poderão repelir uma série de insetos incômodos? Com os passos que seguem, além de colaborar com a preservação do meio ambiente, os alunos também poderão cooperar com a economia familiar, já que poderá haver redução da compra de inseticidas!

 

 

 

Adaptado do texto “‘R’ de reaproveitar!”

Revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 118