Benefícios dos contos de fadas

Além de despertar o interesse pela leitura, com a utilização deles, é possível estimular a alfabetização, aperfeiçoar a linguagem oral e trabalhar o lado psicológico das crianças

Fotos: Itaci Batista | Adaptação web Caroline Svitras

 

Presentes nas séries iniciais, os contos de fada favorecem a aprendizagem ao despertar o interesse das crianças que, quando previamente preparadas, envolvem-se com as histórias, obtendo momentos de prazer e de descontração e ainda desenvolvem o poder de imaginação, a percepção e a fantasia. Tais elementos ajudam a formar a personalidade dos pequenos que, ao assimilarem os contos, também interiorizam, de uma forma espontânea, certos valores explícitos ou implícitos nos textos trabalhados. Além disso, mesmo que a criança não saiba ler, ao ser motivada a folhear os livros, ela acaba por reconhecer algumas letras e, então, começa a buscar o aprendizado das demais, na tentativa de entender o conto sozinha. Dessa forma, a alfabetização se concretiza com mais facilidade e, em consequência, leva à escrita, à interpretação e ao reconto.

 

 

 

Benefícios psicológicos

Atualmente, acredita-se que o efeito integrador que os contos de fadas têm sobre a personalidade seja responsável pelo fato de terem resistido à passagem do tempo e se universalizado. Além disso, há evidências de que os sistemas de crenças produzem um efeito decisivo sobre o funcionamento do ser humano, tanto psíquico quanto fisiológico, pelo modo com que nos infundem esperança e nos ajuda na superação de dificuldades, mesmo na vida adulta. Logo, como os contos de fadas evocam sempre uma verdade atemporal, em contato com eles, a criança, internamente, fará a transposição para a sua realidade atual e, em função de suas necessidades psíquicas momentâneas, também elaborará conteúdos internos por meio da repetição da história, que lhe dará a confirmação do conteúdo que está sendo processando.

 

Outra função importante dos contos de fadas é a de resgatar o “tempo da alma”, pois a criança precisa cumprir cada
etapa do seu desenvolvimento para ter uma estrutura psíquica equilibrada. A alma tem um tempo próprio, característico, ditado pelos ritmos da natureza, que não costuma ter pressa e é ele que regula as fases do amadurecimento humano, em oposição à ansiedade e acúmulo de demandas, cobranças e pressões exercidas pela sociedade. Por isso, a escolha dos contos também deve recair sobre os que sempre apresentam um fim feliz.

 

Aqui vale lembrar que, em meio a esse tipo de atividade, não cabe qualquer espécie de julgamento moral ou censura. O que importa não é ensinar às crianças como se comportar (o que a própria história já faz, de uma maneira muito mais rica e ilustrativa, ao mostrar as consequências dos atos de cada personagem), mas oferecer às elas a oportunidade de expressarem suas dificuldades emocionais de uma maneira protegida. De um modo bem resumido, os contos de fadas têm a capacidade de passar às crianças a mensagem de que na vida é inevitável se deparar com dificuldades, mas se lutarem com firmeza será possível vencer os obstáculos e alcançar a vitória.

 

Adaptado do texto “Benefícios dos contos de fadas”

Revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 97