Ovos de Páscoa saudáveis

Chocolate é uma delícia, mas os primeiros ovos, que, desde o início da tradição, já simbolizavam a fertilidade e o renascimento da vida, não eram feitos com ele

Fotos: Beto Dolcimasculo | Adaptação web Caroline Svitras

 

Muitos séculos antes do nascimento de Cristo, já havia a troca de ovos no equinócio da primavera, momento em que era celebrado o fim do inverno e o início da estação marcada pelo florescimento da natureza. Bem depois, quando a Páscoa cristã começou a ser celebrada, a cultura pagã de festejo da primavera foi integrada à Semana Santa e o ovo também passou a ser um símbolo da ressurreição.

 

Por isso, colorir e decorar ovos sempre foi um costume bastante comum. Nos países da Europa do Leste, por exemplo, os ortodoxos se transformaram em grandes especialistas nessa arte e a tradição de presentear com ovos decorados se tornou tão popular que acabou migrando para os demais países. No século  1º, Eduardo I, da Inglaterra, passou a oferecer ovos banhados a ouro aos súditos preferidos. Já no fim do século 17, Luís XIV, da França, mandava-os, pintados e decorados, como presentes. Surgiu, então, a moda dos ovos artificiais de madeira, de porcelana e de metal, que continham surpresas em seu interior.

 

Mas foi somente no século 18, que confeiteiros franceses tiveram a ideia de fazer os ovos com chocolate – iguaria que aparecera apenas dois séculos antes na Europa, vinda da então recém-descoberta América. Na época, eles retiravam as claras e gemas dos ovos de galinha e recheavam as cascas com chocolate. Porém, foi só no fim do século 19, graças às novas tecnologias, que a delícia se difundiu para alegria de todo mundo.

 

 

Em vez de chocolate, ovos com cores e sabores

De forma interdisciplinar, a antiga técnica francesa pode ser facilmente reproduzida em sala de aula, para ilustrar a origem dos ovos de Páscoa. Para tanto, basta substituir o chocolate pela gelatina. O alimento, além de gostoso, é ideal para crianças, devido ao alto valor nutritivo, pois contêm de 85% a 90% de colágeno, sais minerais, água e açúcares. Após o preparo, certamente todos vão se divertir com as cores e se deliciar com os sabores dos ovos produzidos por eles mesmos!

 

 

Adaptado do texto “Ovos como os de antigamente para a Páscoa atual!”

Revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 104