Faça uma flauta d’água

Fotos: Itaci Batista | Adaptação web Caroline Svitras

 

Embora a flauta doce seja usada corriqueiramente nas escolas durante o processo de musicalização, para inovar, que tal propor a elaboração de uma série de flautas d’água feitas com sucata e bexigas? A sugestão é bem interessante porque dá para estimular, de uma forma mais ampla, tanto a criatividade das crianças quanto o gosto pela música.

 

Além disso, para “tirar” o som do instrumento percussivo artesanal, cada uma delas ainda terá que encontrar a embocadura ideal para obter a variação das notas musicais que, por sua vez, também depende do manejo simultâneo da bexiga já cheia de água. Consequentemente, muito mais que trabalhar só a música, as crianças serão envolvidas em um exercício de respiração, acuidade auditiva e coordenação motora, que poderá resultar em um concerto bem interessante. Gostou da ideia? Então, não percatempo: mãos à obra!

Para tocar o instrumento

Após encher a bexiga com a água, explique para os alunos queeles devem segurar a flauta em posição vertical e assoprar a abertura do cano, até encontrar a embocadura certa para obter o som, naturalmente agradável, que lembra as brisas leves.

Em um segundo momento, faça com que, simultaneamente, assoprem e manejem a bexiga (que pode ser puxada, achatada entre as mãos etc.) para encontrar as variações de sons possíveis.

Quando todos estiverem aptos a “tirar” o som do instrumento, reúna-os para que toquem juntos e, dessa maneira, produzam uma peça musical leve e amena.

 

Adaptado do texto “Flauta d’água para um concerto diferente”

Revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 112