Como funciona a respiração?

Essencial à vida, ela é promovida pelo diafragma, um músculo muito importante que atua tanto na inspiração quanto na expiração

Fotos: Marisa Miyagui | Adaptação web Caroline Svitras

Quando respiramos, o diafragma e os músculos intercostais se contraem de modo diferente. Ao inspirarmos, o diafragma desce e as costelas sobem. Com esse movimento, o volume da caixa torácica aumenta e o ar é forçado a entrar nos pulmões. Já durante a expiração ocorre o inverso. O diafragma e os músculos intercostais relaxam, o diafragma sobe e as costelas abaixam. Em consequência, o volume da caixa torácica diminui e o ar é forçado a sair dos pulmões.

 

Apesar de esse movimento natural ser facilmente sentido no próprio corpo, para ilustrá-lo de forma lúdica, o ideal é propor a elaboração de um pulmão com diafragma, para que os alunos vejam como esse músculo influencia nossos movimentos respiratórios. Com o artefato pronto, dá para visualizar a função do diafragma simulado pelo bexigão e o movimento de inspiração e de expiração realizado pelo pulmão, devido às duas bexigas médias.

 

A inspiração acontece quando se é puxada a ponta do bexigão externo, momento em que a pressão de dentro da garrafa diminui e o ar entra nas bexigas médias, que acabam se inflando. De forma semelhante, no corpo de qualquer mamífero, quando o diafragma se contrai, o ar entra pela traqueia e chega aos pulmões. Já para simular o movimento da expiração, solte o bexigão. Como a pressão do ar aumenta dentro da garrafa, os balões internos expulsam o ar do seu interior que, por sua vez, sai pela mangueira principal, enquanto eles murcham. Portanto, quando o diafragma relaxa, os pulmões também se esvaziam.

 

Adaptado do texto “Com vocês, a respiração!”

Revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 120