Sólidos geométricos

Apesar de serem observados em qualquer lugar, como a definição deles é um tanto abstrata, dificilmente as crianças relacionam sua existência a outros contextos

Da Redação | Fotos: Itaci Batista | Adaptação web Caroline Svitras

Os objetos que nos rodeiam apresentam as mais diversas formas, ocupam um lugar no espaço e se mantêm imutáveis desde que não seja exercida nenhuma ação particular sobre eles. Quando chamados de sólidos geométricos, por definição, eles representam uma região do espaço que é delimitada por uma superfície fechada por um número finito de linhas, que formam faces que, por sua vez, ainda recebem o nome de polígonos. Além disso, enquanto alguns sólidos são limitados por superfícies planas (os poliedros), outros são por superfícies curvas ou por um misto de planas e curvas (os não poliedros). Bastante complicado, não é? Portanto, se até para os adultos transpor tais conceitos para algo concreto já é difícil, fazer a criançada entendêlos é praticamente impossível. Por isso, é necessário chamar a atenção delas para a existência dos sólidos geométricos, mas a partir de atividades lúdicas que, ao serem trabalhadas em sala de aula, levam-nas a compreender a teoria de forma mais natural.

 

Apresentação dos sólidos geomátricos

1. Mostre alguns sólidos geométricos às crianças (como uma caixa, uma pirâmide ou um dado) e evidencie que eles, normalmente, têm três dimensões: altura, largura e comprimento. Em seguida, peça aos alunos que observem como a maioria dos objetos conhecidos é tridimensional: a própria sala de aula, o armário, o cesto de lixo, a lousa, entre outras formas disponíveis.

2. Na sequência, considerando que os alunos estabelecem a compreensão na medida em que seu próprio pensamento cognitivo é colocado em ação, estimule-os a criar, a partir de recortes e colagens, alguns sólidos geométricos – há riscos para a execução dessa atividade no pôster. Dessa forma, ao manipularem as formas, eles assimilaram seus nomes e as principais características dos objetos. Então, também passarão a entender que tais corpos são formados por conjuntos de pontos, cujas posições relativas são invariáveis. Em consequência, dependendo do grau de habilidade de cada um, em mais ou menos tempo, estarão aptos a relacionar a geometria a outros contextos.

3. Em um segundo momento, exponha modelos de sólidos geométricos, mas distribua varetas e massinha de modelar para que as crianças, com base na visualização e no aprendizado anterior, reproduzam figuras tridimensionais em grupo e debatam os porquês da colocação das varetas de determinada forma. Nesse momento, ouça os diferentes pontos de vista e opiniões dos alunos, e aproveite e esclareça as principais dúvidas em relação aos sólidos geométricos.

Revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 97