Aprendendo a alimentar-se bem

Não adianta tentar oferecer aquilo que a criança diz que não gosta, porque, provavelmente, ela nunca experimentou nem em sua própria casa

Da Redação | Foto: radiclelearning.com | Adaptação web Caroline Svitras

Ensinar sua turminha a se alimentar bem é uma questão de tato. Se a criança diz que não gosta de algo sem ao menos experimentar, é necessário usar estratégias para levá-la provar aquilo que até então rejeitava, na tentativa de fazê-la testar o próprio paladar e, assim, formar uma opinião concreta sobre determinados alimentos. Afinal, ninguém é obrigado a gostar de tudo! No entanto, se você reunir sua turminha e levá-la à cozinha da escola para preparar um prato bem nutritivo, as chances sempre aumentam, pois não há nada mais gostoso do que saborear um lanche junto aos coleguinhas. Além disso, se um come todos irão querer, ou, ao menos, provar!

 

Por isso, a nossa dica é uma torta de espinafre com ricota, cuja massa é feita com biscoitos cream cracker, somente para chamar a atenção infantil. Mas, enquanto as minicozinheiros começam a prepará-la, além de abordar a higiene essencial a manipulação dos alimentos, aproveite e explique, de forma interdisciplinar, os benefícios que os dois ingredientes principais trazem para o organismo.

 

Entre outros detalhes que podem ser abordados, diga que o espinafre é uma verdura que tem uma alta carga nutritiva, composta por ferro, cálcio, fósforo e vitaminas A e B. Por sua vez, a ricota é um derivado do queijo que, apesar do baixo teor de gordura, contém proteínas, vitaminas A, B, D e E, além de outros minerais, como zinco, iodo, selênio, potássio e fósforo. Consequentemente, quando combinados, ambos oferecem importantes nutrientes para que o corpo execute suas funções com equilíbrio e eficiência, enquanto transborda energia.

 

Embora simples, como a receita tem seu preparo dividido em quatro etapas, dependendo do número de alunos, a dica é dividi-los em quatro grupos para que cada um exerça seus dons culinários em um dos respectivos passos necessários a elaboração dela.

 

Para mais dicas, garanta a sua revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental nas bancas ou clicando aqui!