Invista na dança infantil

Vale pop, rock, enfim qualquer estilo

Por Caroline Svitras | Fotos: Shutterstock

As crianças dos primeiros anos do EF têm energia de sobra e isso é muito bem aproveitado nas aulas de Educação Física. Esse momento, junto com o recreio, é o espaço que elas têm para liberar essa energia de uma forma lúdica, porém muito produtiva.

Apesar disso, sabemos que muitos pequenos apresentam certa resistência aos esportes e não gostam de participar dos jogos e brincadeiras. Sendo assim, que tal incluir nas aulas uma atividade física diferente, como a dança?

“A criança que dança trabalha a musculatura, fortalecendo-a, estimula a coordenação motora, flexibilidade, postura, tem maior consciência corporal, noções de espaço, além de melhorar sua integração social”, conta Kauan Vilela, Coreógrafo, Dançarino e Diretor do KDance Studio Fitness e Eventos, de São Paulo. Ele comenta também que a dança pode ensinar conceitos que servirão para o resto da vida dos pequenos.

Mas não é apenas benefícios físicos que a dança é feita. Augusto Jimenez, psicólogo e gestor educacional da Minds Idiomas fala sobre o impacto psicológico da atividade: “a dança expande a nossa capacidade de raciocínio e concomitantemente facilita o processo de aprendizado”.

 

 

Mas que tipo de música as crianças podem dançar? Tanto Jimenez quanto Vilela concordam que a maioria dos ritmos são recomendados, desde o Balé até o Street Dance. Vilela dá a dica de que a Zumba Kids tem feito sucesso entre a criançada.

Sobre as precauções, Jimenez diz que tomar cuidado com o piso, para que as crianças não escorreguem, é fundamental. Ele também adverte: “observe se o conteúdo [das letras das músicas] vai ao encontro da idade da criança e se não há palavras muito difíceis para elas aprenderem.”