Ensine frações de uma forma simples

Da Redação | Foto: fbcs.edu.ky | Adaptação web Caroline Svitras

Até os primeiros anos do Ensino Fundamental, todo número que a criança conhece é representado por apenas um numeral. Mas quando ela se depara com a fração, vê dois números que ainda aparecem separados por um traço horizontal. Portanto, são usados três símbolos para representar uma única quantidade. Além disso, há outros aspectos que devem ser levados em consideração:

 

1. Na leitura das frações, vários termos utilizados se confundem com nomes de uso diário, mas cujos significados são bem diferentes, como terço, quarto, sexto, nono, avos etc. Para um aluno das séries iniciais, as palavras quarto e sexto remetem à visualização do espaço de dormir e de um cesto de roupa, por exemplo. Então, o que dizer de frações como 1/12, com sua “estranha” leitura – um doze avos?

2. Já em relação à adição de quantidades fracionárias, a criança também tem que deixar de usar as regras aplicadas para os números inteiros. Como entender esse processo é complicado, ela tem a forte tendência de deduzir que 1/4 +2/3 = 3/7.

3. Por fim, embora na linguagem popular fração signifique pedaço, em Matemática é um erro pensar dessa forma, pois existem frações maiores que 1, cujo numerador é maior que o denominador, caso de 8/2, por exemplo.

 

Para minimizar essas dificuldades e desenvolver o raciocínio abstrato, uma boa opção é introduzir a parte teórica em paralelo com a visualização lúdica das frações. Entre os materiais concretos que possibilitam essa ação, destaca-se a régua de frações que, apesar de ser comercializada, também pode ser facilmente elaborada com papel cartão em cores variadas ou tiras coloridas de E.V.A. Por se parecer com um quebra-cabeça, ela favorece o aprendizado dos conceitos e da equivalência com certa naturalidade.

 

 

Para conferir mais dicas garanta a sua revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental clicando aqui.

Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 149