Classificando substantivos de maneira divertida

Como já foi comprovado que as crianças aprendem com muito mais facilidade quando brincam, inspire-se na sugestão da professora Jeane Freire para criar atividades semelhantes

Da Redação | Fotos: Instituto Maria Auxiliadora de Recife | Adaptação web Caroline Svitras

No Instituto Maria Auxiliadora de Recife (PE), colégio pertencente à Rede Salesiana de Escolas, atividades lúdicas são uma constante. Também, como recurso didático, elas são capazes de envolver os alunos que, ao brincarem, divertem-se ao mesmo tempo em que assimilam, de uma forma bem espontânea, os mais diversos conteúdos curriculares.

 

A professora Jeane Freire, por exemplo, responsável pelo grupo do 4º ano do Ensino Fundamental, idealizou uma espécie de jogo – composto por cartazes, fichas, gravuras e cola branca –, capaz de permitir a classificação dos substantivos em próprios e comuns, só para facilitar o entendimento das crianças em relação às especificações intrínsecas a ambos.

 

Para tanto, após reunir diversas imagens (devidamente coladas em um papel resistente) e listar uma série de substantivos que foram anotados em fichas, ela dividiu a sala de aula em grupos de quatro alunos. Depois, ainda fixou dois cartazes com os temas “Substantivos próprios” e “Substantivos comuns” na lousa.

 

Desenvolvimento da atividade

Por meio de um sorteio, os grupos já com as palavras ou as gravuras em mãos, tinham que se dirigir à lousa e fixar o material de forma correta em seu respectivo lugar. Supondo que um deles tenha sorteado a palavra ou a imagem “gato”, em comum acordo, deveriam decidir e colar o objeto do sorteio no cartaz adequado. No caso, tanto a palavra quanto a imagem gato deveria ser fixada no cartaz dos substantivos comuns, porque ela designa um elemento qualquer sem individualizá-lo. No entanto, se no sorteio saísse o nome de alguém ou de um país, como Pedro e Brasil, já que ambos denotam um elemento específico e, por isso mesmo, são grafados com letras maiúsculas, a opção correta seria o cartaz dos substantivos próprios.

 

Em meio à atividade, enquanto os demais grupos aguardavam a vez para participar, eles também ficavam avaliando as escolhas dos jogadores e, em consequência, aprendendo. No fim da dinâmica, o resultado se revelou surpreendente! Segundo a aluna Débora Rocha, a aula “foi uma aula muito legal, divertida e interessante”. Já a menina Maria Clara Falcão disse que, embora já tivesse noções de uso do substantivo, o jogo eliminou todas as dúvidas que ainda restavam: “Fiquei muito atenta e aprendi mais sobre os substantivos próprios e comuns, porque, às vezes, eu ainda confundia. Muitos colegas erraram, mas tenho certeza que ficarão mais alerta. Agora só espero uma próxima aula tão divertida como essa”, afirma.

 

Diante da iniciativa da professora Freire é fácil perceber que, com um pouco de boa vontade e certa criatividade, independente da estrutura da escola, dá para proporcionar um aprendizado muito mais estimulante para as crianças. Pense nisso e inove também, pois seus alunos vão agradecer!

 

Para conferir outras dicas como esta garanta a sua revista Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental clicando aqui.

Guia Prático do Professor – Ensino Fundamental Ed. 104