Arte do século XIX

Período marca um movimento que reage ao Neoclassicismo com o cultivo das emoções

Da Redação | Fotos: Eugène Delacroix [public domain], via wikimedia commons | Adaptação web Isis Fonseca

Eugene Delacroix

Mudanças sociais, políticas e culturais marcaram o século XIX, como resquício da Revolução Industrial, seus inventos e soluções, bem como a divisão do trabalho e a demanda por especialização da mão-de-obra.

A Revolução Francesa também deixou suas marcas no período, com suas lutas por uma sociedade mais igualitária, com a liberdade e os direitos individuais respeitados, vide Declaração dos Direitos do homem e do Cidadão.

A arte se torna mais sofisticada e complexa. Como reação ao movimento denominado Neoclassicismo, no século XVIII, surge o Romantismo, a partir, aproximadamente, de 1820 até a metade do século.

Romântico, para os ingleses, significava pitoresco: expressão de uma emoção definida e provocada pela natureza. No movimento artístico e filosófico denominado Romantismo o termo se volta para obras mais livres das convenções acadêmicas e mais próximas da visão de mundo do artista.

As influências do momento são o Iluminismo e as ideias de um movimento alemão chamado – Strürm und Drang (valorizando o sentimento e a natureza, o pitoresco – na Alemanha destaca-se, no período, a estética da interioridade, do sentimento sublime provocado pelo contato com a natureza e busca da criação).

Veja mais informações sobre a arte do século XIX garantindo sua Revista Arte Educa – Ensino Fundamental Ed. 16!