Representação das mandalas

Mandalas estão presentes na estética oriental, com grande influência no Ocidente

Da Redação | Fotos: Freepik | Adaptação web Isis Fonseca

Representação das mandalas

Mandala é uma palavra em sânscrito, que significa círculo. Sua representação visual – que não se reduz ao círculo e que se enriquece dos mais variados detalhes representativos das mais variadas culturas e costumes – é conhecida, universalmente, como símbolo da totalidade, da integração e da harmonia.

Desde pinturas rupestres o círculo e diversos elementos a ele associados em inúmeros registros vêm sendo utilizados sob tais ideias, em manifestações científicas, artísticas e religiosas, simulando o cosmo, o universo.

Com esse conceito, as mandalas se proliferam sobretudo na cultura oriental, em ícones da estética japonesa, chinesa e tibetana, entre outras. Marcam presença em um dos principais símbolos chineses, representando o Yin e o Yang, apenas para citar um exemplo.

As thankas tibetanas, por sua vez, tiveram influência chinesa e apresentam sobreposições de mandalas entre outras importantes representações ligadas ao budismo. Trata-se de um tipo de pintura originada durante reinado do rei Songtsen Gampo, no século VIII, colorindo os murais do templo principal de Lhasa, templo de Tsuglagkhang.

Leia mais sobre o assusto adquirindo sua Revista Arte Educa – Ensino Fundamental Ed. 16!